quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018

Novo objetivo


Eu to precisando de um novo foco. Algo que eu consiga tentar usar para me distrair de uma maneira intensa. E resolvi voltar a uma das minhas primeiras paixões que me toquei quando falava com uma nova amiga (oi heidi). Escrever. Eu era uma leitora bem ativa e adorava ficar rabiscando contos curtinhos. Eu entrei na vibe de fics, mas sempre acabava preferindo ler do que escrever. Tanto que ainda existe a aba de fics ali em cima, com algumas que eu escrevi e que eu curti a ponto de divulgar.

terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

[Diary] Dor que não passa

Sabe quando você chora mas depois passa?
Não sei mais o que é isso.

Essa dor que tem no peito sem nenhuma razão, agora tem.
Magoar alguém que me fazia bem me faz muito mal. Não importa o quanto eu tentasse melhorar, nada adiantava. Eu achava que estava progredindo quando reparava que não. Que na verdade eu apenas estava me cavando mais e mais fundo. E hoje acordar chorando, passar o dia chorando, ir dormir chorando. Eu não aguento mais. Não aguento mais essa dor, essa tristeza. Não aguento mais me sentir inútil, ver que nada do que eu faço da certo, que nada

Comecei essa postagem a meses. E hoje que vou postar, se realmente vou.
Já estamos no segundo mês do ano de 2018 e eu não fiz nada de produtivo. Mesmo que pessoal, fiz nadica de nada. Acho que a única coisa boa é que eu parei de chorar a cada minuto. Dezembro foi complicado, eu não fiz nada além de chorar e lamentar de mim. Natal veio, preparei a ceia pela primeira vez estreando a minha casa nova e fiquei feliz. Mas mesmo assim, nos momentos em que passava eu me via chorando e deprimida novamente. Ano novo fiquei tão quieta que cheguei a dormir cedo ao meio ao choro na casa de parentes. Virei o ano novo vendo filmes praticamente. O que eu tinha decidido é que eu ia me esforçar para melhorar. Mas se eu não fizer nada vai acontecer. Mas é tão difícil começar, se movimentar. Eu acho que devo ter magoado algumas pessoas as quais me afastei nesse período. Eu não consigo pedir ajuda a ninguém, fico só chorando e me remoendo. Olho no espelho e tenho nojo do que vejo. Em qualquer aspecto. Não só porque eu estou enorme de gorda, mas pelo cabelo, pela pele, pelos olhos, pelos dentes, por tudo. Eu me sinto um nojo a humanidade, algo que não deveria existir. Eu tentei suicídio no meio de Dezembro. Mas fui medrosa e não consegui terminar. E já estamos em fevereiro e eu fiz nada.  Tenho visto animes e lido uns mangás o que na real tem me ajudado a criar coragem de enfrentar o mundo novamente e tentando me dar forças para não cair no meio do caminho. Mas ainda sim, eu penso, penso, penso e quando vou executar tenho sono, deixo para daqui a pouco, que se transforma em amanhã, que se transforma em semana que vem e quando vou ver um mês já se passou. Meu aniversário está chegando e não tenho muita gente para chamar. Não tenho dinheiro, ou vontade de nada.

Eu queria entender o porque isso existe, porque eu consigo não me amar e como eu consigo me odiar tanto. Quando isso começou? Já não sei mais ao certo. Foi quando mudei de escola com 12 anos? Foi quando eu via minha mãe se esforçando com eu pequena? Não sei. Só sei que isso ta aqui. O nome é depressão, ansiedade e pânico. Mas para mim e tudo a mesma coisa que me faz querer desandar. Tem pessoas que eu queria muito fazer amizade, eu tento puxar assunto mas ai fico imaginando como elas devem estar se forçando a falar comigo e vejo que como não tentaram prolongar eu deixo para lá. É tão fácil, ver algo como sofrimento e deixar para lá. Culpar alguém por se sentir assim. As vezes tudo o que a gente precisa é de um braço forte. Mas eu não quero abraços. Eu não sei o que eu quero. Eu só queria não me sentir assim. Queria conseguir sorrir para mim e conseguir viver bem. Mas a cada dia que passa isso parece mais um sonho inalcançável.

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

[Diary] Comeback



O comeback dos comebacks

Vou fazer uma postagem bem resumida, porque não quero pena nem nada do genêro.
Eu fui diagnosticada com depressão, ansiedade e sindrome do pânico.

Fez-se sentido agora tudo o que tenho passado.

terça-feira, 28 de julho de 2015

[Diary] Falindo com miniaturas



Dias muito ocupados.
Fazendo as malas e organizando tudo. 
É bem complicado. Eu estou enrolada demais, socorro!

Veja também